contato@levycam.com.br | Contato: (11) 3242-3999 | Ouvidoria: 0800 770 7103

Apesar da queda de 2,3% no ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil no país no ano passado, o país subiu da 7ª para a 6ª posição no ranking dos destinos mais atrativos para investimentos produtivos, segundo relatório da agência da ONU para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) divulgado em 24/06/2015.

Além disso, as entradas de IED no Brasil somaram US$ 62 bilhões ano passado ante US$ 64 bilhões em 2013. Mas os investimentos no setor primário caíram 58%, o que foi compensado pelo crescimento na manufatura (5%) e nos serviços (18%).

O fluxo de IED é considerado por muitos economistas o ‘investimento bom‘, já que esse dinheiro vem do exterior para a construção de fábricas, infraestrutura, empréstimos internos feitos por multinacionais e fusões e aquisições de empresas.

Ranking de Investimento Estrangeiro Direto
(em US$ bilhões)

País20142013
China129124
Hong Kong103 74
Estados Unidos 92231
Reino Unido 72 48
Cingapura 68 65
Brasil 62 64
Canadá 54 71
Austrália 52 54
India 34 28
Holanda 30 32

O Brasil chegou a ocupar o 4º lugar em 2012, com um volume total de US$ 65,3 bilhões. Mas a melhora de posição em 2014 foi favorecida pela perda de espaço de outros países como Rússia, que despencou do 5ª para a 16ª posição.

No mundo, a queda foi bem mais acentuada no ano passado. Mas segundo o relatório, os investimentos diretos despencaram 16,3% em 2014, para US$ 1,23 trilhão. O Brasil elevou a sua participação no total de fluxo de investimentos diretos de 4,6% para 5,1%.

Para 2015, a Unctad prevê um crescimento de 11% no volume de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no mundo, mas com reconcentração dos recursos nos países desenvolvidos.

Fonte: G1, em São Paulo.

Então, se você quer ter mais informações sobre o Mercado Financeiro, acompanhe o Blog Levycam!

Deixe uma resposta

Fechar Menu
WhatsApp Fale conosco!